segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Cronologia dos Reis Godos


A dominação dos visigodos na Península Ibérica durou cerca de três séculos e foi durante este período que se estabeleceram na Península os traços fundamentais do que viria a ser a sociedade medieval portuguesa: uma sociedade tripartida, formada por clero, nobreza e povo.
Praticando a religião ariana, a sua fusão com os católicos habitantes hispano-romanos da Hispânia, não foi fácil. Regiam-se por leis diferentes, e os casamentos mistos eram proibidos. Eram uma classe de guerreiros, e só a eles era permitido usar armas.
Em 589, o rei visigodo Recaredo converteu-se ao catolicismo, e em 654, foi elaborada uma lei geral – o Código Visigótico – que se destinava a ser aplicada a todos os habitantes da Península, independentemente da sua raça.
Em 711, o rei Rodrigo foi completamente vencido na batalha de Guadalete, pelo berbere Tarik, que atravessando com o seu exército o estreito de Gibaltar, deu início à invasão árabe da Península, pondo fim ao domínio visigodo.
Reino Ariano de Toulouse

Alarico I - (395-410)
Ataúlfo - (410-415)
Sigerico - (415)
Vália (ou Wália) - (415-418)
Teodorico I - (418-451)
Turismundo - (451-453)
Teodorico II - (453-466)
Eurico - (466-484)
Alarico II - (484-507)

Reino Ariano de Toledo

Gesaleico (ou Geserico) (507-511)
Amalarico (511-531)
Têudis (531-548)
Teudiselo (ou Teudisigelo) (548-549)
Ágila I (ou Agila I) (549-554)
Atanagildo (554-567)
Liúva I (567-572)
Leovigildo (572-586)

Reino Católico de Toledo

Recaredo I (586-601)
Liúva II (601-603)
Viterico (ou Witerico) (603-610)
Gundemaro (610-612)
Sisebuto (612-621)
Recaredo II (621)
Suíntila (621-631)
Sisenando (631-636)
Chintila (636-639)
Tulga (639-642)
Chindasvinto (642-653)
Recesvinto (653-672)
Vamba (ou Wamba) (672-680)
Ervígio (680-687)
Égica (687-702),
Vitiza (ou Witiza) (702-710)
Rodrigo (ou Roderico) (710-711)

Fim do Reino de Toledo e Invasão muçulmana da Hispânia.


De todas as terras quantas há desde o Ocidente até à Índia, tu és a mais formosa, ó sacra Hispânia, mãe sempre feliz de príncipes e de povos!
(…) Com razão te cobiçou Roma, cabeça das gentes e embora te desposasse a vencedora fortaleza Romúlida, depois o florescentíssimo povo godo após vitoriosas peregrinações por outras partes da orbe, a ti amou, a ti raptou e goza-te agora com segura felicidade, entre a pompa régia e o fausto do Império.
Santo Isidoro de Sevilha, De Laude Spaniae.

2 comentários:

  1. Olá, gostei muito deste post, no entanto gostaria de aprofundar o meu conhecimento acerca dos godos. Após muita pesquisa não consigo encontrar a cronologia das conquistas dos Godos desde Dácia e Adrianópolis. Agradecia uma ajuda.
    Daniel

    ResponderEliminar
  2. Olá Daniel, obrigado pelo comentário. Quanto ao que me pede, já procurou em JORDANES. Origen y gestas de los godos. Edición de José María Sánchez Martín... no link • es.scribd.com/.../?
    Diga-me depois alguma coisa.

    ResponderEliminar