quinta-feira, 3 de maio de 2012

Uma missiva do Rei de Mequines (Meknés-Marrocos), para o Rei de Portugal D. Pedro II, em 1706.


“Há um só Deus todo-poderoso em todo o Mundo, ele seja louvado para todo o sempre, como aquele a quem se deve tudo, que ele há-de ajudar a quem tiver justiça, a razão por que é bendito entre as nações do mundo.

                               Muley Ixmael, filho de Xarife e de Rey.

 Mui alto, poderoso rei D. Pedro II de Portugal, aquele a quem publica a fama, numa mão a espada e noutra a justiça.
A ti, rei verdadeiro de todos os Estados de Portugal, com as notícias que tenho do bem que fazes aos meus por meu respeito, te considero digno da minha amizade, e que eu seja agradecido. Pela prática que o meu capitão mor do mar Benaxe me fez, que sendo cativo dos Ingleses, arribou ao porto dessa corte; e que chegando à tua presença real, logrou a maior fortuna, tendo-a por esse respeito, desmentido a má que lhe tinha sucedido no seu cativeiro, dando-lhe o resplendor da tua real Pessoa uma grande alegria, pela afabilidade e carinho que um escravo mouro achou num monarca tão superior, dando-lhe a esmola de trinta meticaes de ouro, oferecendo-lhe tudo o mais.
Estas finezas, meu Rei, me puseram em grande agradecimento, parecendo-me que trazes nas tuas veias aquele ilustre sangue do teu antecessor El-Rei D. Sebastião, que valendo-se dele o Xarife Muley Ahmed, meu parente, por chegar à sua presença, empenhou Pessoa, Reino e Fazenda, em o favorecer e assim o executou; História que temos nos nossos livros pelas maiores finezas que reis fizeram no mundo, por gente de diferente Ley. Pois EL-Rei de Castela, a que o mundo chamou Filipe II o não quis fazer, e se escusou de dar-lhe ajuda, e ele sozinho tomou a seu cargo uma obrigação de tanto peso; e torno a dizer que esta história de fineza está por lembrança enquanto o Mundo for Mundo.
E como te considero deste mesmo ânimo, conheço a tua descendência e sangue que te assiste deste rei. E te afirmo pela lei que sigo que te hei-de servir com tudo quanto no meu reino tenho, com grande vontade, e não se desacredite este meu oferecimento, pelos respeitos de me mandar os tempos passados um Português do teu reino a comprar cavalos, o que pus em conselho nos pareceres dos meus Xerifes e Tables, que todos uniformemente disseram ser contra a minha lei que nos proíbe o não possamos fazer, e quando alguns reis meus antecessores o fizeram, fora em caso de necessidade, a pique de perder a vida ou o reino, e somente nestes termos o podemos fazer; e como esta necessidade me não obriga, fora pôr o meu governo em má opinião dos meus, e se não fora este preceito, não te havia de faltar pelo amor que te tenho.
E se quiseres os cativos portugueses resgatados todos, os darei com vontade, e por este respeito busquei a Joseph Hespanhol, meu cativo, por ser homem de verdade e de razão, de quem faço muito caso e está casado com uma portuguesa, deixando dois filhos e uma filha nessa corte; e como conheço o seu procedimento, o mando a esse Reino, para aviso de que desejo dar resgate aos cativos portugueses; e se para este aviso me quiseres mandar uma pessoa de autoridade, o estimarei, ou com aviso mandarei eu o meu Capitão mor Benaxe, e tudo o que tratar com ele será da minha vontade”.

 Fontes:

Jornal da História

 Quem era Muley Ismael e porque escreveria ao Rei de Portugal?


1 comentário:

  1. Este Imperador Muley Ismael era descendente Mahamet sou Ba: e se Cherif Hufeen que lutou com o nosso querido Rei São Sebastião e na missiva a Portugal era para recuperar o nosso património os restos do rei Sebastião.

    O Filho dos veados, chamado Muley Ab-dalah, tem todo o Keizerryk em repouso de propriedade, que ele deu a Mahamet den Zwar- falhou, o rei Sebastiaan de Portugal auxiliado contra o sangue dele mas teve o acidente do ano 1578, além daquele príncipe, para ser destruído...

    Imperador MULEY é A Grande Brittannifche Hofmam ​​aanftonds MAROK o Decreto, pela Paz com o Newko,
    Imperador Muley Hamet para renovar e para este fim concedeu o Sr. Ruffel como Konful Geral da Nação Engelfche em Bar-Barie e Emissário no Tribunal de Mei-
    nez. Hy foi pego em Gibraltar por Sir Perez, almirante de Salée, que, sob o governo de George den I., como
    Embaixador do Imperador Muley Ismael Londres tinha sido e, consequentemente, ao Engelfchen conhecido

    Eu não sabia disto e tenho que dar valor aos árabes a este rei Ismael o meu respeito e honra, por nos dar os restos mortais.

    deixo aqui a ligação como prova documental


    Thomas Salmon - 1763
    De Zoon van deezen, genaamd Muley Abdalah, heeft het geheele Keizerryk in ... die Koning Sebastiaan van Portugal te hulp riep tegen zyne Bloedverwan- ... in de voorgaande Eeuw bragt Muley Archi, Koning van Tafilet, en Muley Ismaël, ...

    https://books.google.pt/books?id=fBxDAAAAcAAJ&pg=PA222&lpg=PA217&ots=y34pfkWcey&focus=viewport&dq=Muley+Ismael,+Portugal&hl=pt-PT&output=text#c_top

    Eu posso ser anonimo ao comentar sobre Mafalda, e sobre a Realeza, esta me no sangue e a verdade ade vir ao de cima e a verdade tenho que vós provar com registos anteriores à republica. Eu sou Monarca caros senhores e senhoras e ainda existem situações menos claras neste Portugal de gentes que se intitulam que tem nome X, posição Y e na realidade não tem nada, nem uma prova é só conversa.

    ResponderEliminar